Praças e arborização valorizam os imóveis – A Tarde – 16 de abril

Esta reportagem do Caderno Imobiliário do A Tarde fala do benefício das intervenções urbanas sob a ótica de valorização dos imóveis dos arredores das áreas verdes recuperados. Certamente, em qualquer bairro, um terreno abandonado com mato e entulho substituído por uma praça arborizada propõe melhor qualidade de vida, saúde, paz, bem-estar, alegria, orgulho. Acima de tudo, essas transformações coletivas e…

Plano regula plantio, poda e corte de árvores – A Tarde – 2 de maio

Saiu no jornal A Tarde de hoje uma matéria sobre o projeto de lei do Plano Diretor de Arborização Urbana que está em curso na gestão municipal. Débora Didonê representou os Canteiros Coletivos falando um pouco das necessidades e da importância de um plano como esse para a cidade de Salvador. O texto completo está anexo. Importante ressaltar que a…

Goethe-Institut/ICBA sedia bate-papo sobre jardinagem urbana com ativistas de Berlim e Salvador

O ativista alemão Marco Clausen, de Berlim, e os grupos soteropolitanos Canteiros Coletivos e Coletivo Esverdear realizam bate-papo aberto ao público sobre experiências de jardinagem urbana De 19 a 24 de outubro, o Goethe-Institut/ICBA recebe a visita do ‘jardineiro urbano’ Marco Clausen, de Berlim, Alemanha, onde gerencia o chamado Prinzessinnengarten (em português, Jardim das Princesas), uma vasta plantação nômade no meio do ambiente…

Canteiros no Soterópolis – 01/01/2015

Os Canteiros Coletivos foram fonte de entrevista no programa Soterópolis de 1º de outubro. A pauta da reportagem foi a situação da arborização urbana da cidade de Salvador. Confira AQUI a reportagem completa.

Canteiros Coletivos no Caderno de Sustentabilidade do A Tarde – 30/06/2015

Confira a reportagem de autoria de Pedro Duarte, publicada no caderno Inovação & Sustentabilidade, publicado pelo jornal A Tarde no dia 30 de Junho. “Pelo menos duas vezes por mês, um grupo se reúne para transformar lugares abandonados, depósitos de lixo irregulares, com plantas e árvores mal cuidadas em espaços de ecologia e convívio social. Essas pessoas arregaçam as mangas, literalmente, mexendo com a terra, plantando mudas, pintando e buscando…